sussurro, ponto alto

moça colorida que escreve porque gosta e fala do que quer porque é exibida

É HORA DO SHOW OU HOMOGEINIZAÇÃO CULTURAL? janeiro 20, 2008

Filed under: Humm... — Cissa Baini @ 8:56 pm

Blog está para o outro. Ou alguém escreve só para si¿ Se assim o fosse, não publicaria na Internet!
E no Orkut, alguém coloca as fotos pra ninguém ver¿
A formação enquanto indivíduo acaba se dando a partir desses movimentos.

A construção de uma subjetivação, de uma personalidade, de uma individuação a partir de um palco virtual pode ser perigosa. Mas já que as coisas estão acontecendo assim, lidemos melhor com isso então.

Na prática, somos humanos (única espécie capaz de abstração – é o que nos diferencia dos chimpanzés) com cultura, sociedade, e sempre que assimilamos ou informamos algo, mesmo sem querer, somos atropelados por algum ponto de vista. Mesmo quando eu estou tentando ser neutra. “Ser neutro” já é um viés. E o fato de ser “eu” tentando ser neutra, é outro viés. Bion fala de neutralidade em termos de “sem memória e sem desejo”. Lindo! Mas quem consegue¿ Nem psicanalistas, nem jornalistas, nem magistrados, professores, vendedores, eu ou tu.


O que a gente faz é apenas um esforço na busca de um meio-termo para que todos saiam suficientemente entendidos. O que a gente deve fazer, é prestar atenção nas informações, no que assimilamos, se estão coerentes com nossos princípios, se estamos ouvindo crítica e atentamente. Sociedade passiva é (cada vez mais) coisa do passado.
Hoje, cada pessoa pode se comunicar com o mundo e ser comunicado por este. Com a Internet (pra não cair no clichê da globalização), os blogs, fóruns, flickrs e orkuts, ampliam muito mais a comunicação e o engessamento de conceitos acaba tendo menos chances. Nem todos concordam comigo. Há importantes escolas de pensamento afirmando que os avanços tecnológicos e esse acesso direto e simultâneo disponibilizado pelos meios de massa, promovem o aparecimento de uma cultura que é global, unificada; remetendo, assim, a uma homogeneização cultural (passiva, apática).

Em contrapartida, outros estudiosos defendem que o processo de comunicação em tempos de globalização funciona como um espaço para a expressão e expansão das diferenças. O conhecimento de culturas de nações distintas pode levar a uma maior consciência da diversidade, dos estilos de vida, a ampliação da compreensão e, até mesmo, movimentos de fechamento de grupos para reforçar identidades – étnicas, geopolíticas, de gêneros – que se sentem ameaçadas, o que dificultaria a possibilidade da tal cultura global unificada.

Dentro deste contexto, gostaria de destacar os blogs como exemplo. Simultaneamente são constituídos e constituidores de identidades nos dias de hoje. Blogs funcionam para as platéias e servem de palco para o ego (nota: eu tenho blog).

O lado da diversidade e da interação que o meio proporciona é legal! Agora, como em qualquer mídia, a falta de um olhar crítico é preocupante. Pensem comigo: ao ler um blog, ou um perfil de orkut, você sabe quem é essa pessoa ¿ ela é quem diz ser¿ ela sabe quem é ou sabe quem ela quer parecer ser¿ Essa pessoa existe¿

Blog está para o outro. Ou alguém escreve só para si¿ se assim o fosse, não publicaria na Internet! E no Orkut, alguém coloca as fotos pra ninguém ver¿ A formação enquanto indivíduo acaba se dando a partir desses movimentos. A construção de uma subjetivação, de uma personalidade, de uma individuação a partir de um palco virtual pode ser perigosa. Mas já que as coisas estão acontecendo assim, lidemos melhor com isso então.

Já nos anos 60, Guy Debord afirmou que vivemos a “Sociedade do Espetáculo” – conceito atualíssimo observado também nas tendências dos programas de televisão. Hoje temos as “Tecnologias de Espetáculo” transformando o cotidiano em show! O espaço privado e a intimidade desapareceram¿ Depende. Isso tudo é uma verdade¿

Rosa Pedro entende que o “artificial” dos blogs é parte da subjetividade e da sociabilidade atual. Ela destaca que “em oposição a esta subjetividade inautêntica, superficial porque ancorada nas aparências, pressupõe uma subjetividade interiorizada, dobrada em si mesma que, no recolhimento de sua intimidade ou de sua privacidade, constitui uma realidade que é autêntica e verdadeira”. Através dessa subjetividade exteriorizada, esferas de cuidado e controle de si se fazem nessa exposição da intimidade, a qual se constitui exatamente na hora do show.

 

One Response to “É HORA DO SHOW OU HOMOGEINIZAÇÃO CULTURAL?”

  1. Glend´s Says:

    Tá, sei que deveria ser mais profunda ao comentar um texto muito interessante e tão comentável e discutível qto esse, mas por que a tua ? tá ¿ ?

    PS.: Paella sexta?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s